expressivo 04

não queria me sentir mal, mas devo me acostumar. já diziam, são tempos difíceis para os sonhadores.. ando na linha reta, mas meu equilíbrio se perde.. quem me fez assim? Quem me fez tão inconstante, como uma lágrima, orgânica e inconstante na sua forma de gota? Um simples toque e se desmancha toda. Partículas do que foi choro.. choro no silêncio, choro no escuro. Mas foi.
a minha teoria é que essa inconstância veio de nascença. nascença da alma. sim, no nascimento da minha alma -se é que existe tal fenômeno- a incerteza foi mais forte. e assim, tudo que diz respeito ao meu eu, é uma simples e longa indecisão. mas, durante esses dias, tem piorado.
eu odeio todos. ou assim quero fazer. e acreditem, percorro por cada setor da minha vida, caçando motivos, caçando lembranças para detestar você. ou os meus conhecidos. ou a conhecida eu.
 mas no fundo, não passa de uma estúpida implicância comigo mesma.
e então, até a alma não escapa do esporro .


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

monólogo eu e Larissa

balanço

manhã e aspirina