domingo, 6 de abril de 2014

Platônicos

Eu gosto de me imaginar fazendo tudo com você. O “tudo” nesse caso é a representação mais óbvia da infinidade do universo. E sinceramente, eu me imagino com você dentro dessa infinidade, e adoro ser piegas ao declarar isso. 
É como se cada noite eu fosse no meu armário secreto localizado no lobo frontal e tirasse de lá um roteiro novo. Eu, você, atores reais. Da onde você está, você larga tudo para fazer parte da minha história. Eu me sinto a mulher mais valiosa do mundo. Mas dentro das histórias escolhidas usamos o velho cenário chamado Terra, mesmo. Nada de elfos ou fadas. Estamos representando uma versão melhorada da nossa vida. Eu tenho valor nessa versão. E você tem mais valor ainda. 
Eu sou a médica e você o paciente. Fumamos maconha juntos. Somos um casal de contrabandistas que comandam toda a América Latina e a Ásia austral e faturamos média de 2 bilhões/ano. Você é o motoboy e eu sou a vendedora de loja de roupas de periguete. Eu sou a professora e você é o aluno. Você é o herói e eu sou a vilã. Odeio ser a mocinha, mas por você eu seria a Cinderela. Somos um casal comum, de classe média, que passeia de mãos dadas no shopping Tatuapé. Ou no Shopping D. Eu sou uma instrutora de animais marinhos e você um grande veterinário, moramos na Austrália. E temos um cachorro chamado Sebastian. Somos um casal de Hollywood bem famoso. Temos 3 filhos biológicos e 40 adotados. Largamos a rotina e passamos um ano morando na Ilha Palau, comendo frutas ,peixes e tocando flauta. Eu sou a secretária gostosa e você o chefe rico. Você é o bad boy do Brooklyn e eu sou a cantora da igreja Batista do Harlem. Você é Coringa e eu sou a Arlequina. Você imita o Bob Esponja e eu o Patrick, eles são gays, nós podemos ser também. Somos donos de qualquer história. Deitamos um do lado do outro e aproveitamos o silêncio e isso também é fazer parte de uma história. Eu sou a dona do sonho, você é o personagem que eu não quero idolatrar. Quero grudar na sua pele e não sair por um momento. Gru-dar. Dar. E você, dar também. Damos. os dois. Juntos. Ao mesmo tempo. 1,2,3! Demos! Tudo de nós. Eu pego o papel e você a caneta. Eu escrevo, você lê. Eu assino, você carimba. Eu Larissa, Você não existe. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário