sábado, 19 de abril de 2014

mãos

um dia você falou da calmaria. um dia você quis sair do meu imaginário e simplesmente tomar vida própria. me deixou atarefada, entre rotinas e fones de ouvido quebrados, quis viver em outros corações. quis ouvir outras queixas, outros elogios, mais ou menos rebuscados. quis sair do rascunho.  mas quando o mundo nos deixa encabulados, tristonhos ou verdes de raiva, as nossas mãos se juntam, não importa aonde elas estejam. pulsam juntas. mãos-imãs. irmãs.




Nenhum comentário:

Postar um comentário